segunda-feira, 30 de março de 2015

Volunteering at the Faia Brava Reserve, a story by Tim and Debbie Gove

We have for many years had an interest in nature and conservation. When we decided on an extended holiday in Europe we thought it would be nice to do some voluntary word along these lines, if possible.
We firstly did some time at Grupo Lobo, we knew about this NGO via facebook. It was from someone there that we found out about ATN and the Faia Brava Reserve.

So off we headed to see what they were about. And we were not disappointed.
The reserve is absolutely stunning, we were able to get our camper van along the track to their camp site at Sabóia. Although basic, it is well worth the trip! Views across the reserve from morning till night. Vultures soring over head as well as the odd eagle!


We had only planned to stay for one week, but after two it was still difficult to leave.
We spent the time with wonderful people doing things we never thought we would. Cleared up the vulture feeding station, cleaned invasive water fern from ponds and in the process got to see tadpoles, newts and fire salamanders (with vultures over head!)

Tim also did some plumbing at the campsite (while Debbie sunbathed!)

All the people we met were so enthusiastic and passionate about what they are doing at the reserve.


We will most definitely be back and will be recommending it to any of our friends who are also into their conservation.





Debbie and Tim Gove, March 2015

sexta-feira, 20 de março de 2015

Notícias fresquinhas sobre a monitorização no Vale do Côa | News from the monitoring program at the Côa Valley

Falcão-Peregrino, Peregrine falcon (Falco peregrinus), by Eduardo Realinho
A monitorização de espécies selvagens no Vale do Côa, época de 2015, está em andamento desde Fevereiro e são muitas as novidades que temos para partilhar.

Várias espécies migratórias já voltaram da invernada em África, tais como a Águia-cobreira (Circaetus gallicus), a Águia-calçada (Aquila pennata), o Milhafre-preto (Milvus migrans), o Cuco (Cuculus canorus) e várias espécies de Andorinhas.

As espécies que mais importa destacar, devido ao seu estatuto de conservação são o Britango/Abutre do Egipto (Neophron percnopterus) e a Cegonha-preta (Ciconia nigra). Esta última espécie tem sido avistada com frequência no Vale. Continua a decorrer a campanha para garantir a conservação do seu habitat e qualquer pessoa pode colaborar apadrinhando um charco na Faia Brava, veja os detalhes aqui.

Nestes dias que vêm anunciando a Primavera existe um grande alvoroço no vale e há várias espécies que estão já a incubar os seus ovos, como é o caso da Águia- Real (Aquila chrysaetos). O único casal de Águia de Bonelli (Aquila fasciata) que nidifica no Vale do Côa tem trabalhado na preparação do ninho, já os Grifos (Gyps fulvus) vão bem mais avançados, tendo já crias no ninho para alimentar.

O grifo já tem crias no ninho! The griffon vultre (Gyps fulvus) already has chicks in the nest!
photo by Eduardo Realinho
Outras espécies de observação menos comum têm sido observadas por aqui, como é o caso do Açor (Accipiter gentilis), Falcão-peregrino (Falco peregrinus) e do Abutre-preto (Aegypius monachus), que até mereceu um destaque no blog da ATN.

A cada dia que passa é possível observar a grande biodiversidade deste vale, os lacraus e as borboletas voltaram à actividade, assim como os lagartos e os anfíbios, que já acordaram da hibernação. No dia 11 de Abril vamos ter a primeira actividade do ano na Faia Brava, que será especialmente dedicada à observação de anfíbios. Marque a sua presença através do email da ATN.

Também a Perdiz-vermelha (Alectoris rufa) se deixa ver por todo o vale aos pares, os casais estão prontos para mais uma época de reprodução, boas notícias para a Águia de Bonelli e Águia-Real, cuja alimentação depende, em grande parte, da perdiz e de outras espécies-presa como a lebre, o coelho-bravo e o pombo.
Perdiz vermelha, Red-partridge (Alectoris rufa)
Aguardamos ansiosamente por novas observações. Até lá, peguem nas vossas botas e máquina fotográfica e boas saídas de campo!


-----

2 grifos aquecem as suas penas ao sol, 2 griffon vultures heat their feathers
photo by Eduardo Realinho
The monitoring season of wild species already started at the Côa Valley. Since February we are going to the field and have many news to share.

Various migratory species already returned from Africa, after a winter much warmer than what we had at the Côa Valley. Species like the Short-toed eagle (Circaetus gallicus), the Booted eagle (Aquila pennata), the Black kite (Milvus migrans), the Cuckoo (Cuculus canorus) and different Swallow species can already be seen and heard at the Valley.

But the most important species to highlight, due to their conservation status, are the Egyptian vulture (Neophron percnopterus) and the Black stork (Ciconia nigra). This last species has been recently seen at the Valley. ATN has an ongoing campaign for the protection of the Black Stork's habitat, and anyone can contribute by sponsoring one of the temporary ponds at the Faia Brava Reserve, take a look here.

During these first days of spring, there is a huge bustle at the Valley, and dozens of bird species are already incubating, like the Golden Eagle (Aquila chrysaetos). The only Bonelli's Eagle pair (Aquila fasciata) breeding at the Côa Valley is still preparing its nest, while the Griffon Vulture (Gyps fulvus), which started breeding in January, already has chicks in their nest.

Also the Red-partdridge (Alectoris rufa) can be seen in pairs across the entire valley, they are ready for another season with dozens of chicks, which is a great news for the Bonelli and Golden eagles, which feed mainly on this species and others like the hare, rabbit and pigeon.

Other species less common have been seen, like the Northern Goshawk (Accipiter gentilis), the Peregrine Falcon (Falco peregrinus) and the Black Vulture (Aegypius monachus),

Besides birds, each day it is possible to witness the huge biodiversity that chooses this wild valley to live, like small scorpions and butterflies, lizards and amphibians, which have already woken up from their hibernation.
Um lacrau, a small scorpion
photo by Eduardo Realinho
We are anxiously waiting for new observations.

Until then, grab your walking boots, your camera and enjoy spring!

quarta-feira, 18 de março de 2015

Avistamento de Abutre-Preto na RFB | Observation of a Black Vulture at RFB

Na passada sexta-feira fomos presenteados com a observação de um Abutre-preto (Aegypius monachus) na Reserva da Faia Brava! Foi a melhor maneira de finalizar o dia e entrar no fim-de-semana!

Esta espécie, considerada Criticamente em Perigo no Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal, é apenas avistada de modo esporádico no nordeste do País, daí este ser um avistamento especial. É a maior ave de rapina da Europa, com uma envergadura que pode atingir os três metros de comprimento. Ao contrário dos grifos e dos abutres-do-egipto, que nidificam em rochas de escarpas, o abutre-preto escolhe árvores de grande porte, em locais declivosos, para construir os seus ninhos.

No dia antes, dois indivíduos tinham sido já avistados sobre a vila de Figueira de Castelo Rodrigo. É provável que que mantenham na região por alguns dias, por isso, se estiver por cá, mantenha-se atento a grandes vultos negros no céu. :)


-----------

Last Friday we were rewarded with the observation of a Black Vulture (Aegypius monachus) in the Faia Brava Reserve! It was the best way to end the day and start the weekend!

This species, considered Critically Endangered in Red Book of Vertebrates of Portugal, is only sighted sporadically in the north-east of the country, making this a very special sighting. It is the largest bird of prey in Europe, with a wingspan of up to three meters long. Unlike Griffon and Egyptian vultures, which nest in rocks in cliffs, the Black Vulture chooses large trees, on steep slopes, to build their nests.


The day before, two individuals had already been sighted over the village of Figueira de Castelo Rodrigo. These vultures are likely to stay in the region for a few days, so if you are around here, keep an eye out for large black silhouettes in the sky. :)

quinta-feira, 5 de março de 2015

Ação de Formação para Professores na Faia Brava


Está a decorrer em Figueira de Castelo Rodrigo uma acção de formação para professores de Ciências Naturais, Biologia, Geologia e Geografia com o tema: “A Reserva da Faia Brava, um espaço para o ensino das ciências”.

O projecto é uma iniciativa do Centro de Formação Guarda Raia, proposta pela professora Ana Cristina Perpétuo, que resulta de uma longa parceria entre o Agrupamento de Escolas de Figueira de Castelo Rodrigo e a Associação Transumância e Natureza e tem o apoio do Munícipio de Figueira de Castelo Rodrigo.


23 professores das escolas de Figueira, Almeida, Pinhel, Sabugal, Guarda, Covilhã e Cinfães estão a participar na ação de formação, e vão envolver os seus alunos numa actividade dinamizada na Reserva. 

No dia 28 de Fevereiro decorreu uma ação no campo e foram focados aspectos como a geomorfologia, a geologia, a ocupação humana do território e o equilíbrio dos ecossistemas, entre outros. Neste dia todos foram formadores e formandos, numa partilha saudável de saberes. Numa próxima etapa, virão os alunos. 

Cada vez mais a Reserva da Faia Brava pretende ser um pólo de atração do território, e um local de excelência para o ensino da natureza.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Reflorestar a Reserva da Faia Brava | Reforesting the Faia Brava Reserve


Em 2005 a ATN iniciou o programa 1 Milhão de Sementes para o Vale do Côa, após um grande fogo ter dizimado quase 50% das azinheiras e sobreiros centenários existentes na região. Desde então, a ATN tem trabalhado activamente na reflorestação do Vale do Côa. Trata-se de um grande desafio nestas terras de solos pobres e clima extremamente seco. Muitos animais não resistem às folhas tenras e verdes das árvores jovens, ou às calóricas bolotas de carvalhos, especialmente na época de seca. Com o apoio de voluntários, a ATN já plantou mais de 30 000 árvores e 502 000 bolotas.

Não existe muita experiência em criar florestas de espécies autóctones em áreas com estas características, motivo pelo qual a ATN tem vindo a experimentar diferentes estratégias e a monitorizar os resultados, durante a última década. A ATN está focada em 4 aspetos principais:

- Prevenção de incêndios
No verão existe um elevado risco de fogo, é por essa questão que a ATN faz anualmente vigilância contra fogos durante os meses mais críticos – de Junho a Setembro. Além disso, a equipa de campo tem feito um grande esforço para criar zonas de descontinuidade. Em locais com árvores jovens, a equipa da ATN desmata faixas de giesta (Cytisus multiflorus), especialmente as que rodeiam as árvores. A giesta é altamente inflamável e, ao eliminá-la, o risco de fogo é menorizado.


- Semear em grande escala
Neste último outono recolhemos, com o apoio de voluntários, muitas bolotas de carvalho português (Quercus faginea) que foram semeadas em diferentes locais da Reserva, especialmente no cercado pequeno, na Bogalha e no Alto da Resenha. Por curiosidade, o Alto da Resenha deve ter uma grande família de ratos e javalis esfomeados, especialistas em encontrar bolotas. Mesmo misturando bolotas com bosta de cavalo e vacas, não é possível escapar ao apurado faro destes animais. Neste local vamos tentar, no próximo ano, plantar árvores em vez de semear bolotas. (os outros locais não têm tantos sinais de animais famintos por bolotas, até ao momento)

Além das bolotas, temos feito um grande esforço em recolher sementes de zimbro (Juniperus oxicedrus). Esta espécie está bem adaptada às condições climatérias da região, mas são bastante difíceis de germinar. Recolhemos várias sementes, frescas e mais antigas, e espalhamos pela Reserva. Deixámos a seleção das sementes mais fortes e melhor adaptadas para a natureza. Uma pequena parte das sementes vai crescer no vivero florestal e será platada na próxima temporada.


- Plantar árvores no cercado pequeno
As manadas de garranos e vacas têm um importante papel na manutenção da paisagem. Mas, por vezes, gostam de se alimentar das frescas e jovens árvores, razão pela qual num dos dias de campo, em que toda a equipa da ATN deixou o escritório, fomos plantar árvores no interior do cercado pequeno, onde atualmente as manadas de herbívoros não podem entrar. Com esta estratégia vamos ser capazes de monitorizar o crescimento da árvores plantadas e criar uma área de segurança para que estas árvores possam crescer, frutificar e produzir sementes que possam ser naturalmente disseminadas.

- Árvores de fruto para a avifauna
Devido à intensa utilização do solo e à frequente existência de fogos, existem poucas árvores de fruto e arbustos disponíveis. Estas espécies são importantes para muitos animais, dos mamíferos às aves, que encontram nos frutos uma nutritiva fonte de alimentação. Este ano a ATN está concentrada em produzir árvores de fruto no viveiro florestal. Durante o mês de Novembro, qualquer pessoa pode vir ajudar-nos a plantar estas árvores.

As árvores plantadas nesta temporada que estão a sobreviver ainda têm um verão rigoroso para enfrentar.

Acreditamos que no futuro esta área poderá ser um exemplo o verdadeiro potencial da floresta autóctone portuguesa, uma floresta com espaço para a vida silvestre e um local para a humanidade desfrutar da beleza e tranquilidade da natureza.

----------------------
In 2005 ATN started the 1 Million seeds for the Côa Valley Program, after a big fire that killed almost 50% of the old cork and holm oaks of this region. Since then, ATN works actively on the reforestation of the Côa Valley. This is a big challenge on these poor soils with a dry climate, and many hungry animals are attracted to the fresh young trees and calorie-rich acorns, when nothing else is available. With the support of volunteers, ATN already planted more than 30 000 trees and sown more than 502 000 acorns.


There is not so much experience with creating an indigenous forest in areas like this and that is the reason why ATN have been trying different strategies and monitoring the results during this last decade. We are focused on 4 main aspects:

-        Preventing the risk of fire
In the summer there is a chance of fires inside the area, that is why ATN makes fire surveillance during the most critical months – from June to September. Besides, the field team makes a lot of effort on creating fire prevention zones. On places with young trees they cut the dense bushes of broom (Cytisus multiflorus) around the trees.  The broom is highly flammable and by cutting it the risk of the fire will decrease. When the stem of the young trees near the ground is free of branches a fire is less likely to kill the tree.
Juniperus seeds, sementes de zimbro

-       Sown acorns in a large scale
Last autumn we collected together with volunteers many acorns from Quercus faginea (Carvalho português). We seeded them on different places in the area, especially at the small fence, Bogalha and Alto da Resenha. Alto da Resenha must contain a big family of hungry mice and wild boar who are specialized in finding most of the acorns.  Even mixing acorns with dung of horse and cattle, it is not enough to avoid their accurate nose.  So on this place we will try to plant trees instead of acorns in autumn.  (The other places showed almost no traces of hungry animals until now)

Besides oak acorns, we are making a big effort on collecting Juniperus oxicedrus (Zimbro oxcycedro). This specie is well adapted to the rough circumstances but quite difficult to germinate.  We took many seeds, fresh and old ones, mixed with soil of the old tree and spread most of them in the reserve. We left the selection of the strongest and best adapted seeds to nature itself. A small part of the seeds will grow up at the tree nursery and will be planted when they are big enough.

planting trees, plantando árvores

-        Planting trees inside a small fenced area
The Garrano horses and Maronesa cattle in the reserve play an important role for maintaining the landscape. But sometimes they like also to eat some fresh young trees and for this reason, on one of the days where the whole team goes to the field, a big amout of trees was planted inside the small fence, without the presence of big herbivores. With this strategy we will be able to monitor their growth and create a “safety area” from where seeds will sprout to the entire area.
But the trees and acorns planted in this season that are surviving still have a hot summer ahead. 
-        Fruit trees for birds
Because of the intensive land use in the past and the existence of fires, there are few fruit trees and brambles. These species are important for many small birds and other animals that find the fruits a great food supply. This year ATN is focused on creating wild fruit trees at the tree nursery. In November 2015, everybody will be invited to give a helping hand on planting these trees.


We believe that in the future this area could be an example of the true potential of the native forest in Portugal. A forest with space for wildlife and a place for people to enjoy the beautifulness of nature.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Programa Côa na Escola | Côa at school, educational program

 
A Associação Transumância e Natureza tem, ao longo dos últimos anos, colaborado com o Parque Arqueológico do Vale do Côa, no desenvolvimento de um programa educativo dirigido à escola de Vila Nova de Foz Côa - Côa na Escola.

Todos os anos, alunos do 8º e 12º ano têm a oportunidade de aprender sobre a fauna e flora autóctones, em visitas realizadas aos núcleos de arte rupestre da Ribeira de Piscos e da Faia.

Hoje foi dia de Côa na escola, visitámos a Ribeira de Piscos com um turma do 8º ano, um solarengo dia de inverno repleto de aprendizagens.

Entre ovelhas, pombais e património edificado, os alunos descobriram a flora existente e tiveram a sorte de observar uma águia-real em pleno voo; ficaram a conhecer o património arqueológico existente e a saber interpretar a paisagem que diariamente os rodeia.



Associação Transumância e Natureza (ATN), over the last years, collaborates with the Archaeological Park of the Côa Valley in an educational program for the local students - Côa at School.

Every year, students from the 8th and 12th grade have the chance to learn about the local fauna and flora on guided tours at archaeological sites - Ribeira de Piscos and Faia.

Today there was a Côa at school program, with students from the 8th grade, a sunny winter morning full of new subjects for them. Amongst a sheep herd, a pidgeon house and edificated heritage, the students discovered the main flora and had the lucky to watch a golden eagle flying. They also learned about the archaeological heritage and had the chance to understand the landscape that daily surrounds them.


Veja mais fotografias no albúm do facebook, see more pictures at the facebook album.